Domingo
GLOSSÁRIO
Antigo Testamento
Apóstolo
Arcebispo
Bispo
Comunhão
Cristo
Culto
Deus
Dia do Senhor
Dom
Eucaristia
Graça
Igreja
Jeová
Jesus
Mandamento
Páscoa
Pecado
 
 
Domingo, Dia do Senhor


viagra prodej

viagra prodej cena blog.fetish-kinks.com
A Ressurreição de Jesus aconteceu no primeiro dia da semana, quando Ele apareceu glorioso a Seus discípulos e discípulas. Por isso, os apóstolos e as primeiras comunidades cristãs passaram a chamar esse dia de "domingo", "dies Domini", dia do Senhor, e os primeiros cristãos passaram a reunir-se sempre no primeiro dia da semana para celebrar a presença do Ressuscitado em meio à comunidade e para partilhar seus bens entre os necessitados. Os primeiros cristãos mudaram, assim, o sagrado costume judaico de santificar o dia de sábado.

A informação bíblica de que Deus descansou no sétimo dia, abençoando-o e santificando-o, mostra a clara intenção de marcar o shabbat como dia consagrado ao repouso e ao culto religioso. Oprimidos como escravos, primeiramente no Egito (1200 aC) e, depois, no exílio, sob o domínio da Babilônia (586-538 aC), os israelitas aprenderam de Javé que há uma relação intrínseca entre fé e vida. Crer em Javé é sinal de vida e de liberdade.

O sábado tornou-se, então, sinal máximo dessa relação: a fé no único senhor e libertador é garantia da preservação da vida pessoal e comunitária. O desrespeito ao sábado, ao contrário, era sinal de idolatria, de ganância, de exclusão dos pequenos, de opressão do povo trabalhador. Guardar o sábado era crer em Deus e garantir a vida. Não guardar o sábado levava à descrença e à morte do povo.

A santificação do sétimo dia para o povo judeu, prescrita no Antigo Testamento, passou, por disposição dos Apóstolos, a ser praticada no primeiro dia da semana, o domingo, dia santificado dos cristãos. Ao longo de vinte séculos de história, a Igreja Católica, juntamente com as outras igrejas cristãs, sempre reconheceu o particular sentido sagrado desse dia, vendo nele a Páscoa da semana, que torna presente a vitória de Cristo sobre o pecado e a morte.

Domingo é dia do Senhor, que nos quer todos reunidos para participar da Eucaristia, ouvir Sua Palavra e celebrar a ação de graças. É o dia em que as famílias e as comunidades se encontram, para reforçar os laços de comunhão e amizade. É o dia de cada ser humano se revigorar em suas forças físicas e espirituais. É dia de descanso, um direito que é expressão de justiça social, que possibilita a convivência com a família e com a comunidade. É dia de nos prepararmos para nos colocarmos diante do último dia, aquele que nunca se acaba.

O domingo é, enfim, o dia da vida, da festa, da alegria. Domingo não é um feriado, mas um dia santificado. No feriado, cada um faz o que quer. No domingo, deve-se fazer o que Deus quer. Esse é o sentido do terceiro mandamento: guardar e santificar o dia do Senhor.

(Dom Murilo S. R. Krieger, scj - Arcebispo Metropolitano e Dom Vito Schlickmann - Bispo Auxiliar, de Florianópolis, SC)
© 2002 Kreanto Informática - editor@santamissa.com.br - Uso e Privacidade - Sobre...
Todas as partes da celebração comentadas em detalhe. Preces para dar graças e para pedir a luz divina. Exemplos de vida cristã. Pérolas da sabedoria do Rei Salomão. Artigos e comentários atuais. Calcula as festas e datas móveis para qualquer dia e ano. Definição de termos usados no site.
A Missa diária para seu conforto espiritual.